sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Capítulo 22 - A Virgem Sedutora

Demi sentia-se fraquejar. Seria tão mais simples deixar Joe tomar as decisões, seria tão mais agradável se ele se encarregasse de defendê-la da opinião pública, fazendo com que todos acreditassem que a amava...

Não, não poderia ser assim, porque senão ela mesma correria um sério risco de também acreditar nessa mentira.

Demetria: Não. — Determinada, sacudiu a cabeça. — Não vou me esconder atrás de você, Joe, não mentirei, nem fingi­rei. Posso ter cometido um erro imoral, na opinião de alguns. Mas, para mim, mentir seria um erro muito mais grave. Se querem me criticar ou me condenar, terei de aceitar as consequências de meus atos.

Vendo no olhar de Demi o temor e a altivez lutarem entre si, Joe sentiu uma grande admiração pela honestidade dela e, ao mesmo tempo, ternura por sua fragilidade. Era tão inocente, tão sensível! Tinha de protegê-la tanto de si mesma quanto dos outros.

Joe fez a curva para entrar em sua garagem.

Joseph: Você será crucificada. Será que quer jogar tudo o que conquistou até agora pela janela, Demi? A escola, o respeito que conseguiu? Porque posso garantir que é isso o que vai acontecer.

Demetria: Existem outras escolas — respondeu ela, lutando para esconder a dor que aquelas palavras haviam lhe causado.

Joe estacionou, e só então ela notou onde estavam.

Demetria: Por que me trouxe aqui? Quero ir para minha casa,

Joseph: Você é minha noiva. Aqui também é seu lar.

Demetria: Não! Nós não podemos ficar noivos! Não é... nós não...

Joseph: Nós precisamos, Demi, não temos escapatória.

Demetria: Leve-me daqui! Quero ir para minha casa — insistiu. — Tenho uma reunião hoje à noite e, se eu não for, Myra Fanshawe vai ganhar o dia.

**

Demi afundou no sofá. A reunião fora tão horrível quan­to imaginou. Myra tentou o tempo inteiro transformar o encontro num debate de moralidade, com a clara intenção de humilhá-la.
Algumas pessoas a haviam apoiado, com os mais sinceros votos de felicidades, e alguns pais chegaram a se solidarizar com ela.

— Ficamos felizes com a decisão de seu noivo de manter a fábrica em funcionamento.
— O amor conquista tudo — acrescentou outra, com um sorriso.

O amor tinha mesmo esse poder, refletia Demi. Porém, Joe não a amava.
O telefone tocou e, achando que fosse Logan, Demi atendeu.

Logan: Você é incrível mesmo, hein, prima?

Demi suspirou.

Demetria: Já soube das novidades?

Logan: Claro que sim. A cidade inteira já está sabendo. A propósito, acho que minha mãe falou com a sua, hoje à tarde, pelo telefone.

Demetria: O quê?! Mas eu não queria que eles soubessem!

Logan: Como? — parecia confuso.

Demetria:  Ou melhor, eu não queria que soubessem, por en­quanto. — Demi apressou-se em corrigir-se. — Queria con­tar eu mesma, e tudo aconteceu tão rápido que...

Logan: Nem me diga. Confesso que fiquei atordoado quando soube que passou a noite com Joe no hotel, sobretudo porque naquele jantar você o tratou como o inimigo público número um.

Demetria: Oh, Logan... — se conteve.

Como poderia explicar para o primo toda aquela con­fusão? E para quem então ela poderia contar, senão para ele?

Quando disse a joe que não queria se esconder atrás dele, foi sincera. No entanto, de repente se deu conta de que nada era tão simples assim. Havia outras pessoas em sua vida cujos sentimentos e opiniões Demi precisava levar em consideração.

Depois de desligar, ficou ali parada, mordendo o lábio por alguns minutos, antes de pegar de novo o aparelho. Com as mãos trêmulas, discou o número de Joe.
Bastou o som da voz dele, ao atender o telefone, para causar-lhe nervosismo.

Demetria: É Demi. Estive pensando sobre o que você disse, quan­to a nosso noivado, e eu concordo.

Ao perceber que Joe não dizia nada, a boca de Demi secou. E se ele tivesse mudado de ideia? E se houvesse desistido de defender sua própria reputação e não achasse mais que era sua responsabilidade defendê-la?

Em seguida, ouviu o clique do telefone no gancho e sentiu um arrepio fortíssimo. Ele não queria mais!

E agora? O que iria fazer?

Dez minutos mais tarde, Demi estava encolhida no sofá, quando ouviu a campainha tocar.
"Deve ser Logan", pensou ao se levantar para ir atender, descalça.

Mas não era Logan, e sim Joe! Caminhando até a sala de entrada, percebeu que ele trazia uma garrafa de champanhe e duas taças.

Joseph:  Só existe uma maneira de um casal comemorar o compromisso que assumiram um com o outro, Demi. E isso inclui uma cama e muita privacidade. De preferência, uma cama grande e um longo período de privacidade. Mas, já que nosso noivado não é o tipo de compromisso para todo o sempre, achei que champanhe seria muito bom.

Quando terminou de falar,Joe olhou para ela. Demi sabia que estava vermelha, não de raiva ou vergonha, percebeu, sentindo-se culpada, mas com a reação que as palavras de Joe haviam lhe provocado.

Joseph: Evidente que se você preferir a primeira alternativa... — sugeriu, meloso.

Demi o encarou, indignada.

Demetria: Eu preferiria não me encontrar nesta situação.

Quando ela se virou para o outro lado, Joe se perguntou o que Demi faria se ele lhe dissesse que estava prestes a tomá-la nos braços e que gostaria de levá-la para um lu­gar onde ficassem a sós, para que pudesse saciá-la com seus beijos, oferecendo-lhe tanto amor, tanto...
Tanto o quê? Tanto que ela diria que também o amava?

Joseph: Como foi a reunião de pais? — Joe abriu a garrafa.
Demetria: Nosso noivado abriu a discussão. — Demi fez uma careta.

Decidiu não contar que Myra lhe disse, antes de sair, que pretendia comunicar tudo às autoridades.

Joseph: É só tempestade em copo d'água. Daqui a seis meses, ninguém vai se lembrar disso.

Não foi isso o que Joe disse antes, quando insistiu no noivado como única forma de evitar um escândalo para ela. Demi mordeu o lábio. De qualquer maneira, dentro de seis meses, poderia já tê-la esquecido, mas ela jamais se esqueceria dele.

Joe ofereceu-lhe uma taça.

Demetria: Não, eu não posso.

Para seu alívio, ele não insistiu. Apenas apoiou a taça numa mesa, antes de perguntar:

Joseph: Por causa do que houve no hotel, depois que tomou aquele coquetel? 

Antes que ele concluísse,Demi fez que não. Não era esse o motivo, por estranho que parecesse, diante daquelas circunstâncias.

Demetria: Não, Joe. É que eu detesto ter de fingir assim. Não acho certo fazer um brinde tão tradicional e romântico numa situação artificial, uma ficção.

A honestidade dela, tão direta e inesperada, comoveu Joe. Demi parecia tão triste, tão adorável que ele tinha vontade de estreitá-la contra si.

Joseph: Não...
Demetria: Por favor, não quero mais falar sobre isso. — Ela se ergueu e foi até a sala.
Sabia o que ele pretendia dizer. Diria que, diante de tudo aquilo, a franqueza deles não importava. Talvez não para ele, mas, para ela, sim. Sobretudo porque, no conceito de Demi, aquele cinismo significava uma falta de res­peito em relação a um costume, um gesto tão especial quanto uma comemoração de noivado, reservada apenas às pessoas que se amavam.

Demetria: Gostaria que você fosse embora, Joe.

Por um momento, ele hesitou. Demi parecia tão frágil que gostaria de ficar a seu lado. Estava pálida e cansada. Franzindo a testa, observou-a mais uma vez.

Joseph: Demi, sei que já falamos sobre isso, mas... se existe alguma chance de você ter se enganado e estar grávida, então eu...

Demetria: Não estou!

Demi chegou a crer que pudesse ter se enganado, julgando-o mal. Mas, mesmo que suas defesas tivessem fraquejado, diante da sensibilidade e da preocupação que lhe demonstrou minutos antes, Joe acabava de lhe dar a prova de que precisava. Não se enganava, agora sabia com convicção.

Só havia um motivo para ele estar ali, só uma pessoa com a qual se preocupava, e não era ela ou a criança que Joe não desejava.

Demetria: Estou exausta, Joe. Quero que você vá embora.

Ao entrar na Mercedes, Joe se indagava o que havia pretendido com tudo aquilo. Será que pensou que o simples fato de aparecer com uma taça de champanhe para comemorarem aquele noivado fictício bastaria para fazê-la se apaixonar? Como se isso fosse possível...


Podia ser um tolo, mas era um sujeito honrado e queria defender Demi e sua reputação. E, por enquanto, manter aquela farsa diante de todos era a única maneira de con­seguir isso. Dentro de pouco tempo, daria a ela um anel de brilhante, para selar o noivado deles diante de todos.


Próximo Capitulo ....




Esse capitulo foi meio chato mais os próximo vão melhorar ... 
Me desculpem o atraso para postar mais sabe como è , tercero ano `e foda! 
Nao sei quando posto outro mais relaxem que nao vou demorar uma eternidade , beijos e bom final de semana !!!

19 comentários:

  1. Sei sim, como terceiro ano é foda, vc fica desesperada entre nota e enem.... Eu choro de desispero as vezes...
    Bom posta mais um hoje.... Pq vc nao terminou a maratona que vc tinha começado decidada a mim :( maguou.... Kkkkk posta mais um vai
    Por favor

    ResponderExcluir
  2. aaaa perfeitooo, posta mais um hojeeee

    ResponderExcluir
  3. KKKKKKKKKKKKKKK terceiro ano é foda!Ainda bem que estou no primeiro,ma não deixa de ser foda!
    Está muito bom seu capítulo!

    ResponderExcluir
  4. oi, selinho pra você no meu blog
    http://minifics-jemi.blogspot.com.br/2013/08/happy-b-day-demetria-lovato-selinho.html :)

    ResponderExcluir
  5. hey posta logo, estou anciosa

    ResponderExcluir
  6. olha se vc for desistir de posta avisa por que eu to esperando a muito tempo essa fic

    ResponderExcluir
  7. AAHH amando a fic..
    Posta Logo
    Por favor
    XOXO

    ResponderExcluir
  8. PERFECT O CAPITULO, E POSTA LOGO, SOU LEITORA NOVA AQUI E ADORO COMO VC ESCREVE SUAS HISTORIAS, SÃO MUITO LINDAS E PERFEITAS, POSTA LOGO E NÃO DEMORA. AH E ESTOU REATIVANDO O MEU BLOG, SE PUDER DIVULGA POR FAVOR!!!
    http://jemirivais.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Quero mais *--*
    Posta logo!!
    Beijos~

    ResponderExcluir
  10. Quero que continue postando é perfeito e quero mais. E eu seu bem compra é estar no 3° hxidkddkdk

    ResponderExcluir
  11. lindoooooooooooo, posta maisss, divulga meu blog? segue ? http://jemiumapropostaousada.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Oi.
    Eu sei que isso é chato, mas me ajuda a divulgar , segui e se puder acompanhar a historia e comentar?
    http://tudoqueeumaisqueroevoce.blogspot.com.br/
    http://iloveyouforevermylove.blogspot.com.br/
    Comecei ontem.

    ResponderExcluir
  13. oi sou sua mais nova fã, amei suas histórias mais vc sumiu e não postou mais , por favor continue a história é linda e não vejo a hr de descobrir o final , pelo seu último comentário imagino que agora deve estar na faculdade , mais por favor arrume um tempinho, vc é uma ótima escritora. bjs

    ResponderExcluir
  14. Oi , sou nova aqui o/*
    Meu Deus , eu já tinha visto falar sobre o seu blog em algum lugares mas eu nunca tinha parado para ler e quando eu comecei a ler tudo o que eu conseguia pensar é "PORQ EU NÃO TINHA COMEÇADO A LER ELA BELEZURA ANTES , MEU DEUS ??" Gente eu estou apaixonada por esta história *v*
    Cadê vc Isabel ? Volte logo para a gente porq eu estou surtando na espera de mais capítulos.
    Bjos e volte logo

    ResponderExcluir
  15. Anjo, eu estou simplesmente apaixonada por sua história! ELA É INCRÍVEL E MARAVILHOSA. Quero mais capítulos ein... Você poderia fazer a gentileza de divulgar meu humilde blog? http://wefoundfaith.blogspot.com.br/ Desde já eu agradeço. Tenha um ótimo dia. Beijos.

    ResponderExcluir
  16. AAh como eu queria que vc terminasse de postar essa fic.... tô louca para saber, mas vc nem deve mais acessar esse site e eu devo estar falando sozinha aaaahahahahahah vou rir para não chorar.

    ResponderExcluir